quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Crítica: Horas Decisivas (The Finest Hours) . 2016


Terminamos o ano de 2015 recheados de histórias baseadas em factos verídicos. Começamos o ano de 2016 com mais histórias baseadas em factos verídicos. Horas Decisivas é um thriller / aventura realizado por Craig Gillespie (Lars and the Real Girl, Fright Night), com visuais cativantes e performances competentes, mas que não são o suficiente para salvar este relato, que peca pelo fraco argumento e falta de intensidade nas cenas de maior acção.

Em 1952, o petroleiro SS Pendleton fica literalmente dividido em dois, na Baía de Cape Cod. A guarda costeira local é destacada para o seu resgate. Bernie Webber (Chris Pine) é o capitão da pequena embarcação de salvamento, que juntamente com mais três membros da tripulação (Ben Foster, Kyle Gallner e John Magaro) arriscam as suas vidas, tempestade a dentro, na esperança de ir ao encontro do petroleiro e auxiliar os seus membros. Ao longo da história vamos saltitando entre o relato dos acontecimentos em terra - onde conhecemos pela primeira vez Bernie, a mulher por quem se apaixona (Holliday Grainger), assim como Daniel Cluff (Eric Bana) chefe da guarda costeira - e no mar - vendo de perto as dificuldades que os homens a bordo do petroleiro estão a passar, com Ray Bybert (Casey Affleck) na liderança.


Mais focado nos personagens de Pine e Affleck, o equilíbrio entre as situações vividas pelos dois não é o melhor, sendo muitas das vezes mais focado entre o romance do filme do que qualquer outra coisa. O desenvolvimento dos personagens deixa muito a desejar, que mesmo com boas performances, consegue ser muito fraco naquilo que nos dá. Chris Pine convence no papel de um jovem retraído, bastante inseguro, longe de ser o herói local, mas o pouco que é apresentado acerca do seu personagem é insatisfatório e de nada lhe vale o esforço. Nem o dele, nem o do restante elenco. Os aspectos técnicos até são bons, com visuais bem conseguidos, o que me fez ficar um pouco intrigada, visto que nem assim as cenas de maior intensidade causaram grande impacto.

O caminho que vamos percorrendo, vai sendo familiar. Culpa de muitos filmes do género, todos eles feitos de maneira semelhante e o resultado final acaba por sair prejudicado. Horas Decisivas joga pelo seguro, recusando-se a arriscar algo mais.

Classificação final: 2,5 estrelas em 5.
Data de Estreia: 04.02.2016

Sem comentários:

Enviar um comentário