segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Crítica: Homem-Formiga (Ant-Man) . 2015


Homem-Formiga é o mais recente filme do Universo Marvel, sobre as origens do super-herói mais pequeno do mundo! Bastante light e divertido, conjuga algumas mensagens de valor moral e familiar com a acção e entretenimento ao nível que a Marvel já nos têm vindo a habituar.

Depois de ter saído da prisão, Scott Lang (Paul Rudd) quer dar um novo rumo à sua vida, na esperança de poder ser um bom pai para a sua filha, largando de vez o mundo do crime. Scott é um bom homem, mas a forma melhor que encontra para fugir aos problemas nem sempre é a mais correcta. Como é ex-condenado, manter um emprego é complicado, e deixando-se aliciar por um grupo de ex-condenados liderado pelo seu amigo de cela Luis (Michael Peña), começam a planear assaltar a casa do milionário Dr. Hank Pym (Michael Douglas), mas para espanto de Scott a única coisa que encontra no cofre é um fato que tem a capacidade de o conseguir encolher para o tamanho de uma formiga. É então que Scott descobre que foi o escolhido para a importante missão de travar a antiga companhia do Dr. Pym (a Pym's Technologics), na venda da poderosa criação dos Yellowjacket à maléfica organização Hydra, desenvolvido pelo louco Daren Cross (Corey Stoll), o que poderá ter graves consequências para o mundo.

Paul Rudd não poderia estar melhor na pele de Ant-Man. O seu carisma e a forma descontraída e divertida como se apresenta no papel é importante para a alma do filme. Filme este, em que o elenco resulta de forma surpreendente, não de forma estranha como poderia achar inicialmente. Tecnicamente bem conseguido em todos os sentidos, onde o uso do CGI (que obviamente só poderia ser usado em demasia tento em conta a história) se torna incrivelmente bem feito proporcionando momentos visualmente incríveis, nomeadamente no que toca a todas as cenas em miniatura, cuidadosamente criadas de forma a chegar ao mais pequeno pormenor. O realizador Peyton Reed consegue então a aprovação que necessitava, não ficando atrás daquilo que possivelmente Edgar Wright poderia ter aqui conseguido, se realmente tivesse sido ele a realizar o filme como estava previsto. A parte humorística é talvez o seu principal trunfo, o que o faz distanciar da seriedade e atmosfera pesada que conseguimos encontrar em grandes doses noutros filmes da Marvel (algo que já tínhamos visto a Marvel explorar, e bem, em Guardians of the Galaxy o ano passado). 

Homem-Formiga é pura diversão,e assim, a Phase Two não poderia terminar da melhor maneira. Que agradável surpresa!

Classificação final: 4 estrelas em 5.
Data de Estreia: 16-07-2015

Sem comentários:

Enviar um comentário