quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Crítica: As Mil e Uma Noites: Volume 1, O Inquieto . 2015


Depois de ter estado na Quinzena de Realizadores no Festival de Cannes 2015, ter tido uma aceitação extraordinária por parte da crítica e do público, e posteriormente ter ganho o prémio de Melhor Filme no Festival de Sidney 2015, chega agora a todas as salas portuguesas, o primeiro segmento da trilogia As Mil e Uma Noites do realizador português, Miguel Gomes. A obra, que no seu todo conta com aproximadamente 6 horas, dividida em 3 partes, apresentando-nos múltiplas histórias seguindo a estrutura do épico "As Mil e Uma Noites", onde uma série de histórias são contadas ao rei Xeriar, pela esposa Xerazade.     

Este é o genial retrato de um Portugal actual, com as suas virtudes e os seus defeitos, com a austeridade como pano de fundo e as consequências da mesma sempre bem presentes, balançado entre a comédia e o drama, recheado de momentos brilhantes, criativos, alguns até bastante peculiares, mas todos eles cheios de um enorme significado. Em As Mil e Uma Noites: Volume 1, O Inquieto encontramos um tom bastante nostálgico, onde as diferenças entre classes são uma certeza, onde a realidade vs ficção se encontram de forma complexa mas ao mesmo tempo bastante simples. Fazendo por vezes uma clara sátira ao estado do país e do governo, o povo é sempre enaltecido demonstrando a sua força e perseverança perante variadas situações, mas também mostrando um forte lado emocional quando necessário.


Através de alegorias, cenas mais artísticas têm extremo significado, e tudo se conecta quase de uma forma lírica, sonhadora, transmitindo sempre um sentimento positivo de que as coisas podem melhorar, sendo isso uma das coisas que o tornam bastante especial. O olhar honesto e cru de um povo, ao qual Miguel Gomes presta homenagem e claramente se orgulha de demonstrar. Um filme que consegue divertir e ao mesmo tempo emocionar. Todos os elementos se misturam de forma perfeita e a sua ambição torna-o num filme absolutamente fascinante do inicio ao fim. 

Os 2 Volumes seguintes desta obra, O Desolado e O Encantado estreiam a 24 de Setembro e 1 de Outubro respectivamente. Mal posso esperar para os ver!

Classificação final: 4,5 estrelas em 5.
Data de Estreia: 27-08-2015

2 comentários:

  1. O primeiro conto deste primeiro volume, sozinho, é uma pérola. Homens tesos indeed.

    ResponderEliminar