sexta-feira, 4 de março de 2016

Crítica: A Força da Verdade (Concussion) . 2015


A história sobre uma verdade que se tornou inconveniente demais. Escrito e realizado por Peter Landesman, este drama baseado em factos verídicos, peca pela falta de interesse na própria investigação em si, focando-se mais na parte sentimental e de romance do que propriamente em algo mais.

Quando em 2002 o ex-jogador de futebol americano Mike Webster (David Morse) é encontrado morto dentro da sua carrinha, o seu recente e estranho comportamento leva a suspeitas de que algo o poderia estar a afectar psicologicamente. A sua autopsia vai parar às mãos do nigeriano patologista forense Dr. Bennet Omalu (Will Smith) que rapidamente percebe que não existem razões aparentes para a sua morte. Após uma investigação cuidada, Omalu constata que Webster morreu devido a consecutivos traumatismos cerebrais, causados pelas fortes pancadas dadas ao longo de vários anos, provenientes da violência presente nas regras requerentes à pratica do futebol americano. Atribuindo um nome à doença degenerativa - CTE (Chronic Traumatic Encephalopathy) - Omalu procura ajuda para lançar o alerta na NFL - Federação Nacional de Futebol - mas vê-se enrolado no meio de um assunto a que todos parecem querer fugir. Decidido a prevenir que outros jogadores viessem a sofrer do mesmo, Omalu, mesmo sem saber, declara guerra à NFL, que irá tentar destruir a sua reputação.


O tema abordado é extremamente sério e interessante, e tem toda a legitimidade de ser levado e explorado para outros campos, visto que é algo que está profundamente enraizado na cultura americana. O que aqui acontece é que o filme segue padrões já anteriormente explorados outras vezes no cinema. A performance de Will Smith é certamente boa, e a mais cativante em todo o filme, mas ao mesmo tempo a tão falada ausência nas nomeações aos Oscars acaba por não ser assim tão injusta. Culpa da inconsistência de um papel que tanto tem de verdadeiro como de "abonecado", consequência do também inconsistente argumento que se centra demasiado em torno da tão celebre filosofia do "american dream", e acaba também por dar mais importância ao romance entre Omalu e a sua mulher (Gugu Mbatha-Raw) ao invés de se preocupar com a batalha vivida entre Omalu e a NFL.

Infelizmente A Força da Verdade cai nos habituais clichés de filmes do género, quando poderia ter tomado um rumo mais profundo e de investigação do tema, explorando muito mais do que aquilo que aparentemente tentou fazer.

Classificação final: 3 estrelas em 5.
Data de Estreia: 03.03.2016

Sem comentários:

Enviar um comentário