quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Crítica: Whiplash - Nos Limites 2014


Data de Estreia: 29-01-2015

Terence Fletcher: "There are no two words in the English language more harmful than good job".

A buscar intensa pela perfeição, pode não ser por vezes a coisa mais saudável a nível psicológico. Acreditarmos em nós próprios e lutarmos para conseguir os nossos objectivos é algo desafiante e definitivamente saudável, mas quando se chega ao ponto de viver só para atingir a perfeição, o mínimo erro pode se tornar algo extremamente desapontante e perturbador. A busca constante pela aceitação e reconhecimento da sociedade é então a maior metáfora deste filme.

Whiplash - Nos Limites conta-nos a história de um jovem promissor que sonha ser um dia, um grande baterista de música jazz, e da relação conturbada entre ele e o seu desprezível mentor. Miles Teller interpreta Andrew, um aluno do primeiro ano do Conservatório de Música de Manhattan, a quem é dada a oportunidade de fazer parte da orquestra principal do Conservatório. Rapidamente Andrew percebe que o director da orquestra, Terence Fletcher, é talvez das piores e mais intimidantes pessoas que já conheceu na sua vida. Fletcher, brilhantemente interpretado por J. K. Simmons, usa dos mais variados insultos e humilhações que podemos pensar, afectando os seus alunos ao mais alto nível psicológico.

No inicio do filme, pensamos que estamos prestes a assistir a mais uma daquelas histórias de adolescentes na transição para a idade adulta, mas o filme acaba por se revelar muito mais profundo e emocional, passando de uma simples história de consquista por um sonho, a um thiller psicológico de grande nível.

A belíssima cinematografia e edição, com a adição de uma fantástica banda sonora composta apenas por música jazz, são grandes complementos desta história, principalmente a edição que contribui imenso para a intensidade desta viagem emocional.

Whiplash - Nos Limites é uma história de força e perseverança que foge aos clichés de forma bastante inteligente, deixando-nos com um final aberto que dá asas à nossa imaginação.









Classificação final: 4,5 estrelas em 5.

4 comentários:

  1. http://aopiniaodequemnaosabe.blogspot.pt/2015/01/whiplash-um-filme-sobre-dedicacao-e.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hmm já percebi que o comentário vem da mesma pessoa... Excelente blog parabéns!

      Eliminar